| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

A luz lusófona
Desde: 25/01/2017      Publicadas: 50      Atualização: 05/04/2017

Capa |  África lusófona  |  Arte  |  Atualidades  |  Desenvolvimento pessoal  |  Desportos  |  Gastronomia  |  Literatura  |  Moda  |  Mundo  |  Música  |  Política  |  Turismo  |  Vida estudante


 Turismo

  15/03/2017
  0 comentário(s)


Festas juninas, origens - por Jaime Conceição

Por que elas se chamam festa juninas? Porque são as três festas comemoradas no mês de junho, nos dias de Santo Antônio (13), de São João Baptista (24) e São Pedro (29). As comemorações juninas tiveram suas origens há muitos séculos na Europa.

Festas juninas, origens - por Jaime Conceição

Por que elas se chamam festa juninas? Porque são as três festas comemoradas no mês de junho, nos dias de Santo Antônio (13), de São João Baptista (24) e São Pedro (29). As comemorações juninas tiveram suas origens há muitos séculos na Europa. Antigamente, o dia 24 de junho era comemorado pelos pagãos por conta do solstício de verão[1], o dia mais longo do ano que marcava o início da época do plantio. Na idade média, as festas passaram a ser chamada Joanina por causa do dia de São João, comemorado no mesmo dia 24. Mais tarde, passou-se a comemorar as festas dos três santos que ficaram conhecido popularmente como festa juninas, as festas do mês de junho.

As fogueiras também faziam parte das comemorações do solstício de verão e aos poucos o símbolo passou a ser incorporado na festa de são João. Já os fogos de artifício foram trazidos para o Brasil pelos portugueses e, segundo a tradição popular, servem para despertar São João Batista. Os balões, por sua vez, servem para avisar o povo que a festa está começando.

A dança da quadrilha também foi trazida pelos portugueses no século XIX, mas a dança tem sua origem na França, a partir de uma dança francesa popular nos meios aristocratas no século XVII. Como a moda de Paris era imitada em toda a Europa no século XIX, a elite portuguesa a copiou e exportou a dança para o Brasil. Não tardou para a moda francesa se fundir com as danças locais, ficando mais conhecida nas zonas rurais. Aos poucos, a quadrilha foi se tornando uma dança típica das festas juninas. O casal de noivos também faz parte da tradição europeia ligada às aspirações patrimoniais nas festas de Santo Antônio e São João. Essa união dos três santos, mais a quadrilha e a fogueira fazem a festa junina que comemoramos todos os anos.

Festas juninas nos quatros cantos do Brasil:

As festas juninas são umas das poucas festas comemoradas em todo o Brasil. No Nordeste, a tradição é ainda mais forte, já que a região foi o berço das festividades no Brasil. As comemorações nordestinas são consideradas as mais animadas do país e têm cada vez mais atraído turistas para apreciar suas tradições. No interior acontece concurso de quadrilha, assim como nas cidades.

As músicas tradicionais mais tocas na festa junina são mastruz com leite, cavalo de pau, magnífico etc., mas isso depende da região que você esteja. Tradicionalmente na festa junina as comidas típicas são milhos cozidas ou assado, amendoim cozido, pamonha, canjica etc., com esse conjunto de dança, comida típicas e música tradicionais fazem das festas juninas um programa para toda a família. Abaixo, segue a lista das principais regiões que festeja as festas junina segundo o site guiadoturista:

Festas Juninas pelo Brasil – Região Sul

Diferente em alguns aspectos, o Sul do Brasil tem danças típicas. Então é comum na tradição gaúcha que as roupas utilizadas sejam as roupas típicas da região, com o vestido de prenda rodado para as meninas e a bombacha e o lenço no pescoço para os meninos. Tem alguns conservadores que acreditam que a roupa caipira usada em vários outros estados do país, toda remendada e colorida, ridiculariza o homem do campo e chega a ser ofensiva. Essa diferença é explicada por alguns historiadores pelo tempo que o estado esteve em guerra, sem fronteiras definidas e por isso sem acompanhar o costume do resto do país.

A animação fica por conta das músicas como o vaneirão, o chamamé e o xote gaúcho. Ainda nas danças típicas está a dança das fitas, trazida pelos europeus como costume e muito dançada até hoje por toda a região.

Os pratos típicos ficam por conta do churrasco, pipoca, amendoim, canjica, doces campeiros e principalmente o pinhão, preparado de diversas maneiras. A comilança é regada a quentão, vinho quente e outras bebidas típicas da região, como o chimarrão.

Como nesse período é inverno no Brasil é bastante frio, portanto é muito comum acender a fogueira no começo da festa e permanecer em volta dela até que o fogo se apague.

As comemorações juninas no Brasil: na região Norte

Na Amazônia cabocla, a tradição de homenagear os santos possui um calendário que tem início em junho, com Santo Antônio, e termina em dezembro, com São Benedito. Cada comunidade homenageia seus santos preferidos e padroeiros, com destaque para os santos juninos. São festas de arraial que começam no décimo dia depois das novenas e nas quais estão presentes as fogueiras, o foguetório, o mastro, banhos, muita comida e folia.

No eixo Belém/Parintins/Manaus, desde os tempos coloniais, a criação do boi, introduzida pelos portugueses, deu lugar a manifestações culturais que lhe são típicas: o boi-bumbá, dançado em diversas ocasiões, transformou-se atualmente em grande espetáculo, cujo ápice é a disputa entre os grupos Caprichoso e Garantido no Bumbódromo de Parintins, nos dias 28, 29 e 30 de junho.

As comemorações juninas no Brasil: no Sudeste

A tradição caipira, especialmente a do Sudeste do Brasil, caracteriza-se pelas festas realizadas em terreiros rurais, onde não faltam os elementos típicos dos três santos de junho. Mas elas também se espalharam pelas cidades e hoje as festas juninas acontecem, principalmente, em escolas, clubes e bairros. Como em outras partes do Brasil, o calendário das festas paulistas destaca os rodeios e as festas de peão boiadeiro como eventos ou espetáculos mais importantes, que se realizam de março a dezembro.

As festas juninas, com maior ou menor destaque, ainda são realizadas em todas as regiões do Brasil e representam uma das manifestações culturais brasileiras mais expressivas.

Festas Juninas pelo Brasil: Centro-Oeste

O Brasil é um país muito grande. Por causa de suas dimensões, os costumes em cada região são bastante específicos. Isso acontece porque cada canto do país recebe influências de diversos fatores, como o clima, vegetação, países fronteiriços, entre outros.

Por isso, um costume como as festas juninas se espalhou pelo país com algumas diferenças! No Centro Oeste, por exemplo, as festas juninas adotam algumas misturas das tradições dos países da fronteira, especialmente o Paraguai.

Além da quadrilha tradicional, dança-se o cururu, dança comum no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde violeiros se desafiam com rimas em uma roda dançante. Outro ritmo comum nas festas juninas é a Polca Paraguaia, dança típica em países vizinhos, como a Argentina e o próprio Paraguai.

Do país vizinho também vem um dos pratos típicos da festa, a “sopa paraguaia”. Se engana quem pensa que se trata de um caldo! A sopa paraguaia é uma espécie de torta de farinha de milho com queijo muito famosa no Mato Grosso. Além da sopa o arroz de carreteiro também faz parte do menu tradicional!

Quem não podia faltar na festa também é a música sertaneja! O estado de Goiás é berço de várias duplas sertanejas e o ritmo embala o São João por toda a região!

E para finalizar, a região Nordeste:

 

CARUARU – PERNAMBUCO

As festas juninas no município pernambucano são famosas pela marcante decoração multicolorida das palhoças e pelo ritmo do forró pé de serra. As quadrilhas movimentam centenas de pessoas e apresentações de artistas consagrados como Zé Ramalho e Dominguinhos já são marcas registradas no município.

 

 

ARACAJU – SERGIPE

Fogueiras, fogos de artifício e o ritmo do baião são as marcas das festas juninas na capital de Sergipe. O famoso Arraiá do Povo se espalha pelas ruas e invade pousadas e restaurantes. As festividades se espalham por todo o estado, fazendo de Sergipe um dos melhores destinos para celebrar o São João

 

 

SALVADOR – BAHIA

A capital da Bahia se destaca por ser a cidade com as maiores festas juninas do Brasil. Durante todo o mês de junho as fogueiras e bandeirinhas coloridas podem ser vistas em todos os cantos de Salvador. As apresentações das quadrilhas populares acontecem no Pelourinho e atraem centenas de turistas e moradores para dançar ao som do forró. A gastronomia junina da Bahia também é indispensável: aluá, beiju, munguzá e caldo de milho verde são alguns dos pratos tradicionais.

 

CAMPINA GRANDE – PARAÍBA  

Considerada “A Maior Festa Junina do Mundo”, a festividade no município de Campina Grande acontece durante todo o mês de junho. As quadrilhas, os tocadores de sanfona e apresentações de artistas como Elba Ramalho, Zé Ramalho e Aviões do Forró atraem turistas do Brasil inteiro. As festas acontecem no Parque do Povo, um espaço com 42 mil metros quadrados e que recebe mais de 300 barracas de comidas e bebidas típicas. Acontece também o famoso casamento coletivo, com dezenas de casais que se comprometem em meio ao ritmo do forró pé de serra.

 

MOSSORÓ – RIO GRANDE DO NORTE

A cidade é famosa por ter expulsado o bando de Lampião há 80 anos e, durante as festividades juninas, acontece a encenação da resistência dos moradores: a famosa Chuva de Bala no País de Mossoró. A comida típica e as apresentações de grandes artistas da música nacional também fazem de Mossoró uma das cidades com a mais animada celebração de São João.

 

Fontes

https://www.significados.com.br/solsticio-de-verao/

https://www.yoki.com.br/as-comemoracoes-juninas-no-brasil-no-sudeste/

http://blog.planoeplano.com.br/festas-juninas-pelo-brasil-regiao-sul/

http://www.guiadoturista.com.br/roteiros/gastronomicas/festas-juninas-nordeste/

 

[1] Solstício de Verão é um fenômeno da astronomia que marca o início do Verão

  Autor:   Jaime Conceição


  Mais notícias da seção Turismo no caderno Turismo
30/03/2017 - Turismo - Porto, a cidade mais que invicta - por Adriana Sousa Almeida
Poderia fazer a mais bela introdução para vos convencer a ler este artigo. Poderia até dizer que este é o texto mais belo do mundo, mas, na verdade, o título já diz tudo, porque não preciso de figuras de estilo maravilhosas quando o tema do texto é o Porto: a mais maravilhosa das cidades....
09/03/2017 - Turismo - São Francisco, the City by the bay - por Azélie Poulleau
« I left my heart in San Francisco" » cantava Tony Bennett em 1962. É, com efeito o que podemos sentir quando deixamos a "City by the bay". Sendo nostálgica, vou partilhar com vocês, queridos leitores, uma pequena vista dessa linda cidade. ...
09/03/2017 - Turismo - Barcelos - por Marine da Silva Ferreira
Barcelos é uma cidade portuguesa no Distrito de Braga, uma região do Norte. É sede de um município com 378,9 km² de área e 120 391 habitantes, constituído em 61 freguesias....
08/03/2017 - Turismo - O vinho dos mortos - Por Jennifer Capela
O vinho dos mortos é uma especialidade de vinho de Boticas....
28/02/2017 - Turismo - O destino dos sonhos, Cabo Verde - Por Adersa Sanches
De certeza que quando ouvimos falar de cabo verde pensamos diretamente na grande e famosa cantora Cesária Évora. Mais Cabo Verde não é somente Cesária Évora, é também as belas paisagens, a diversidade das suas 10 ilhas, a sua riqueza natural e única....
08/02/2017 - Turismo - Descobrir Sagres - Por Azélie Poulleau
Hoje gostaria de partilhar com vocês uma lembrança de viagem e falar de Sagres. Já pressinto a suas reações, então preciso que vou falar da cidade e não da cerveja, bando de foliões!...



Capa |  África lusófona  |  Arte  |  Atualidades  |  Desenvolvimento pessoal  |  Desportos  |  Gastronomia  |  Literatura  |  Moda  |  Mundo  |  Música  |  Política  |  Turismo  |  Vida estudante
Busca em

  
50 Notícias